terça-feira, 25 de março de 2008

Teste - 1ª Unidade

Tipo A

1) (UNESP) "Os animais selvagens espalhados pela Itália têm, cada um, seu buraco, seu antro, seu covil; e aqueles que combatem e morrem pela Itália só têm o ar e luz: nada mais. Sem casa , sem moradia fixa, perambula com suas mulheres e filhos. Os generais mentem quando, nas batalhas, contratam os soldados para combater os inimigos pela defesa dos túmulos e dos templos: dentre tantos romanos, não há um só que possua altar paterno, um túmulo de antepassados. Fazem a guerra e morrem unicamente pelo luxo e a opulência de outrem: nós os chamados de senhores do mundo, mas eles não possuem sequer um torrão de terra". Este texto de Plutarco (Vida de Tibério Graco) refere-se à:
a) Organização dos exércitos romanos.
b) Religiosidade do povo romano.
c) Preocupação do Estado romano para com seu povo.
d) Pobreza e miséria do povo romano que ajudou na conquista do grande império.
e) Grande riqueza acumulada por Roma nas suas guerras de conquistas.

2) (PUC-CAMP) Considere os fatores abaixo.
I. Declínio da capacidade de conquista, o que comprometia o abastecimento de escravos para o Império.
II. Fracasso da reforma agrária que limitou o uso da terra pelos comandante militares.
III. Oposição dos cristãos à escravidão.
IV. Anarquia militar
V. Concorrência comercial das províncias conquistadas. A partir do século III inicia-se uma crise econômica, social e política no Império Romano.
Os fatores responsáveis por essa crise foram APENAS.
a) I, II, V
b) I, III, IV
c) I, IV, V
d) II, III, IV
e) II, III, V

3) (SANTA CASA -SP) As guerras de Roma contra Cartago, no período entre 264 e 146 A.C., tiveram amplas repercussões, entre as quais se pode destacar:
a) A perda das terras situadas no Mediterrâneo Oriental, que conquistara à Grécia e ao Egito.
b) O Desenvolvimento de uma política imperialista que levaria à conquista da bacia do Mediterrâneo.
c) A diminuição da escravidão, em virtude das derrotas militares, que o significou a perda de seu sustentáculo econômico.
d) O abandono dos centros urbanos por grande parte de sua aterrorizada população.
e) A decadência da classe dos cavaleiros, com a parte de suas riquezas e poder político.

4) (MACKENZIE) A concentração de terras em mãos de latifundiários, a ruína dos pequenos êxodo rural no final da República provocaram em Roma:
a) O fim das ditaduras militares e a formação de um governo de bases populares.
b) O aparecimento de leis escritas que defendessem os direitos dos plebeus.
c) A fixação de colonos na bacia oriental do Mediterrâneo.
d) Uma luta de classes, prenúncio das guerras civis que forçaram o estabelecimento do Império.
e) A bem-sucedida reforma agrária dos tribunos da plebe: Tibério e Caio Graco.

5) (PUC-CAMP) A revolta de Espártaco (73 A.C.) no final da República, em Roma , decorreu, entre outros fatores:
a) Da grave crise social, em que destacava o aumento sensível do número de escravos submetidos a duras condições.
b) Da falta de cumprimento da Lei de Tibério Graco, que limitava a extensão das propriedades rurais a 125 hectares.
c) Da condenação pelo Senado do líder popular Caio Graco, em face de seu envolvimento com os desprotegidos.
d) Do surgimento de ditaduras militares, com Mário e Sila, que aboliram os direitos constitucionais da plebe.
e) Do assassinato de Júlio César, por inspiração de elementos da aristocracia, chefiados por Bruto e Cássio.

6) (UNICAP) A abertura dos portos, em 28 de janeiro de 1808, pôs fim ao monopólio português sobre o comércio brasileiro. Depois da abertura dos portos, inúmeras firmas inglesas vieram se estabelecer no Brasil, que recebeu uma variedade de produtos da Inglaterra. Assinale as afirmativas verdadeiras e as afirmativas falsas.
00) D. João, Príncipe Regente, tomou medidas econômicas que favoreceram unicamente o Brasil.
11) Embora a Inglaterra colhesse vantagens da abertura dos portos, o Brasil também foi favorecido.
22) Na verdade, apenas a Inglaterra foi beneficiada com as medidas tomadas por D. João.
33) O monopólio, uma das bases do sistema mercantilista, foi extinto, o que significou o início da liberdade econômica da colônia em relação a Portugal.
44) A abertura dos portos representou o rompimento definitivo do pacto colonial e o início do processo de emancipação política da colônia.
Vermelhas são verdadeiras

7) (UNICAP) A partir de 1820, acelera-se, com a revolução do Porto, o processo de ruptura entre o Brasil e Portugal. A referida Revolução - movimento de tendência liberais e constitucionalistas, liderado pela burguesia, - exigiu. Assinale as afirmativas verdadeiras e as afirmativas falsas:
00) a separação definitiva entre o Brasil e Portugal;
11) uma política recolonizadora que interessava à burguesia metropolitana;
22) o retorno de D. João VI e toda Corte Portuguesa;
33) da burguesia mercantil portuguesa, recuperação do antigo monopólio e exclusivismo colonial;
44) uma política econômica nitidamente capitalista para as elites brasileiras.

8) (Mackenzie 97) "A nação independente continuaria subordinada à economia colonial, passando do domínio português à tutela britânica. A fachada liberal construída pela elite europeizada ocultava a miséria e a escravidão da maioria dos habitantes do país." (Emília V. da Costa) A interpretação correta do texto anterior sobre a independência brasileira seria:
a) a nossa independência caracterizou-se pelo processo revolucionário que rompeu socialmente com o passado colonial.
b) a preservação da ordem estabelecida, isto é, escravidão, latifúndio e privilégios políticos da elite, seria garantida pelo novo governo republicano.
c) a rápida transformação da economia foi comandada pela elite política e econômica interessada na superação da ordem colonial.
d) o liberalismo no Brasil possuía limites claros e não impediu que fossem mantidas as estruturas arcaicas da escravidão e do latifúndio, sendo a monarquia a garantia de tais privilégios.
e) o rompimento com a dependência inglesa foi inevitável, já que após a independência o governo passou a incentivar o mercado interno e a industrialização.

9) (Mackenzie 96) São fatores que levaram os E.U.A. a reconhecerem a independência do Brasil em 1824.
a) Doutrina Monroe (América para os americanos) e os fortes interesses econômicos emergentes nos E.U.A.
b) A aliança dos capitais ingleses e americanos interessados em explorar o mercado brasileiro e a crescente expansão do mercado da borracha.
c) A indenização de 2 milhões de libras pagos pelo Brasil ao governo americano e a Doutrina Truman.
d) A subordinação econômica à Inglaterra e o interesse de aliar se ao governo constitucional de D. João VI.
e) A identificação com a forma de governo adotada no Brasil e interesses coloniais comuns.

10) (UFRGS) O anteprojeto que deveria servir de base para a Primeira Constituição do Brasil, em discussão na Assembléia Constituinte em setembro de 1823, tinha como uma de suas características:
a) O espírito liberal de seus artigos, permitindo às camadas populares o direito de elegerem os seus representantes.
b) A tentativa de limitar a influência da aristocracia rural nas decisões políticas.
c) A possibilidade de os portugueses, desde que dispusessem de uma determinada renda, exerceram cargos públicos.
d) A limitação ao máximo do poder de Pedro I, com a valorização do poder do legislativo.
e) A completa eliminação de fatores econômicos na organização do eleitorado brasileiro

Tipo B

1) (MACKENZIE) A política do pão e circo, as tentativas de reformas dos Gracos e as ditaduras militares são fatos que demonstram, claramente, a crise institucional da República Romana, cuja análise nos permite concluir:
a) Pela dificuldade dos romanos em democratizar suas instituições e optar por soluções que marginalizassem a plebe.
b) Pelo equilíbrio nas soluções políticas, que caracteriza a fase de crise institucional da República.
c) Pela Harmonia com que os novos grupos sociais emergentes eram assimilados pelo poder de Roma.
d) Pelo espírito reformista da aristocracia patrícia no poder.
e) Pela ausência de luta de classes e equilíbrio na distribuição de rendas e propriedades nas sociedades romanas.

2) (SANTA CASA-SP) As conquistas romanas, com a formação do Império, tiveram profundas repercussões, pois Roma:
a) Vê desaparecer a classe dos eqüestres, atenuadora dos conflitos sociais, que com sua ausência eclodem com grande violência.
b) Atravessou uma fase de austeridade de costumes, a fim de compensar as elevadas despesas bélicas.
c) Perdeu parte considerável da população urbana que emigrou para o campo à procura de melhores níveis de vida.
d) Teve afetada a sua mão-de-obra servil, na sua maioria, durante as lutas armadas.
e) Ampliou o número de escravos tornando o sistema produtivo dependente deste tipo de mão-de-obra.

3) (UFPA) Assinale a alternativa correta:
a) Implantada a República romana na Antigüidade, ficou fortalecido o poder dos reis na política de Roma.
b) O final do período republicano foi marcado pela eleição de 3 cônsules que formaram os triunviratos.
c) Concretizada a expansão territorial de Roma durante o período republicano, a agricultura romana havia atingido expressivo crescimento no mundo antigo.
d) Implantado o regime republicano em Roma Antiga, o poder dos cônsules foi substituído pelo poder dos ditadores.
e) Na Organização política da Roma republicana, na Antigüidade, era atribuição da Assembléia dos plebeus promover a escolha dos cônsules romanos.

5) (UFPB) Entre as conquistas da plebe romana podemos afirmar:
a) Os Tribunos da Plebe eram responsáveis pela administração das finanças romanas.
b) A Lei das 12 Tábuas foi votada pela Assembléia da Plebe e baseava-se no Código de Hamurabi
c) Através da Lei Hortência os Plebeus passaram a ter o direito de casar com Patrícios
d) As Leis Licínias acabaram com a escravidão por dívida.
e) As decisões dos Plebiscitos passaram a ter força de Lei a partir da proclamação da Lei Canuléia

6) (ABC-SP) A elevação do Brasil e Reino Unido a Portugal e Algarves está intimamente ligada.
a) Ao liberalismo de Dom João, desejoso de agradar aos Brasileiros.
b) Ao Visconde de Cairu, homem de formação liberal.
c) Ao conselho do embaixador inglês lorde Strangford.
d) À reação contra as pressões da burguesia lusa.
e) À necessidade de legitimar a representação portuguesa no Congresso de Viena.

7) (UFPE) processo político de emancipação do Brasil desenvolveu-se dentro de condições bastante especiais, dentre as quais é correto assinalar:
a) a presença de D. Pedro I, como regente do trono, estabelecia a possibilidade de uma separação entre Portugal e Brasil, sem, contudo, romper radicalmente com o regime monárquico.
b) as primeiras notícias chegadas ao Brasil dos acontecimentos do Porto deflagraram, em todas as províncias brasileiras, movimentos de repúdio à revolução lusa, formando-se "Juntas Constitucionais".
c) a Revolução do Porto, fundamentada em idéias liberais, tinha entre seus objetivos a reforma constitucional portuguesa e a emancipação política das suas colônias, entre elas, o Brasil.
d) nas Juntas Constitucionais formadas por brasileiros e portugueses, nas quais os brasileiros eram em maior número, havia a firme decisão de acatarem as tentativas de recolonização impostas pelas cortes em Lisboa.
e) Com relação ao Brasil, os revolucionários portugueses do Porto, mantinham a coerência com os postulados liberais, mostrando-se intransigentes defensores da emancipação política brasileira.

8) (Fuvest 85) O reconhecimento da independência brasileira por Portugal foi devido principalmente:
a) à mediação da França e dos Estados Unidos e à atribuição do título de Imperador Perpétuo do Brasil a D.João VI.
b) à mediação da Espanha e à renovação dos acordos comerciais de 1810 com a Inglaterra.
c) à mediação de Lord Strangford e ao fechamento das Cortes Portuguesas.
d) à mediação da Inglaterra e à transferência para o Brasil de dívida em libras contraída por Portugal no Reino Unido.
e) à mediação da Santa Aliança e ao pagamento à Inglaterra de indenização pelas invasões napoleônicas.

9) (UFPE) Em 1989 comemorar-se-á o centenário da Proclamação da República no Brasil. Entretanto, o ideal republicano foi várias vezes reprimindo, a exemplo do que ocorreu em 1817, quando um grupo de idealistas tomou o poder em Pernambuco e instaurou a 1a república, obtendo adesão da Paraíba e do Rio Grande do Norte. Assinale as afirmativas verdadeiras e as afirmativas falsas.
00) Dezenas de revolucionários foram mortos e muitos outros enviados aos cárceres da Bahia.
11) D. João VI, numa política conciliatória, ordenou que a repressão aos revolucionários fosse branda.
22) Os revolucionários conseguiram manter-se no poder por mais de 60 dias.
33) Os religiosos locais condenaram a Revolução, contribuindo para sua derrocada.
44) O território das Alagoas, em represália ao movimento revolucionário, foi separado da Capitania de Pernambuco.

10) (FUVEST) O sistema eleitoral adotado no Império Brasileiro estabelecia o voto censitário. Esta afirmação significa que:
a) O sufrágio era indireto no que se referia às eleições gerais.
b) Para ser eleitor era necessário possuir uma determinada renda anual.
c) As eleições eram efetuadas em dois turnos sucessivos.
d) O voto não era extensivo aos analfabetos e às mulheres.
e) Por ocasião das eleições, realizava-se o recenseamento geral da população.

Tipo C

1) (UFPE) processo político de emancipação do Brasil desenvolveu-se dentro de condições bastante especiais, dentre as quais é correto assinalar:
a) as primeiras notícias chegadas ao Brasil dos acontecimentos do Porto deflagraram, em todas as províncias brasileiras, movimentos de repúdio à revolução lusa, formando-se "Juntas Constitucionais".
b) Com relação ao Brasil, os revolucionários portugueses do Porto, mantinham a coerência com os postulados liberais, mostrando-se intransigentes defensores da emancipação política brasileira.
c) a Revolução do Porto, fundamentada em idéias liberais, tinha entre seus objetivos a reforma constitucional portuguesa e a emancipação política das suas colônias, entre elas, o Brasil.
d) a presença de D. Pedro I, como regente do trono, estabelecia a possibilidade de uma separação entre Portugal e Brasil, sem, contudo, romper radicalmente com o regime monárquico.
e) nas Juntas Constitucionais formadas por brasileiros e portugueses, nas quais os brasileiros eram em maior número, havia a firme decisão de acatarem as tentativas de recolonização impostas pelas cortes em Lisboa.

2) (ABC-SP) A elevação do Brasil e Reino Unido a Portugal e Algarves está intimamente ligada.
a) À necessidade de legitimar a representação portuguesa no Congresso de Viena.
b) Ao liberalismo de Dom João, desejoso de agradar aos Brasileiros.
c) Ao conselho do embaixador inglês lorde Strangford.
d) Ao Visconde de Cairu, homem de formação liberal.
e) À reação contra as pressões da burguesia lusa.

3) (Fuvest 85) O reconhecimento da independência brasileira por Portugal foi devido principalmente:
a) à mediação da Santa Aliança e ao pagamento à Inglaterra de indenização pelas invasões napoleônicas.
b) à mediação da França e dos Estados Unidos e à atribuição do título de Imperador Perpétuo do Brasil a D.João VI.
c) à mediação da Inglaterra e à transferência para o Brasil de dívida em libras contraída por Portugal no Reino Unido.
d) à mediação da Espanha e à renovação dos acordos comerciais de 1810 com a Inglaterra.
e) à mediação de Lord Strangford e ao fechamento das Cortes Portuguesas.

4) (FUVEST) O sistema eleitoral adotado no Império Brasileiro estabelecia o voto censitário. Esta afirmação significa que:
a) O voto não era extensivo aos analfabetos e às mulheres.
b) O sufrágio era indireto no que se referia às eleições gerais.
c) Por ocasião das eleições, realizava-se o recenseamento geral da população.
d) As eleições eram efetuadas em dois turnos sucessivos.
e) Para ser eleitor era necessário possuir uma determinada renda anual.

5) (UFPE) Em 1989 comemorar-se-á o centenário da Proclamação da República no Brasil. Entretanto, o ideal republicano foi várias vezes reprimindo, a exemplo do que ocorreu em 1817, quando um grupo de idealistas tomou o poder em Pernambuco e instaurou a 1a república, obtendo adesão da Paraíba e do Rio Grande do Norte. Assinale as afirmativas verdadeiras e as afirmativas falsas.
0--0) Dezenas de revolucionários foram mortos e muitos outros enviados aos cárceres da Bahia. 1--1) O território das Alagoas, em represália ao movimento revolucionário, foi separado da Capitania de Pernambuco.
2--2) Os revolucionários conseguiram manter-se no poder por mais de 60 dias.
3--3) D. João VI, numa política conciliatória, ordenou que a repressão aos revolucionários fosse branda.
4--4) Os religiosos locais condenaram a Revolução, contribuindo para sua derrocada.
Alternativas em vermelho são verdadeiras

6) (UNESP) "Os animais selvagens espalhados pela Itália têm, cada um, seu buraco, seu antro, seu covil; e aqueles que combatem e morrem pela Itália só têm o ar e luz: nada mais. Sem casa , sem moradia fixa, perambula com suas mulheres e filhos. Os generais mentem quando, nas batalhas, contratam os soldados para combater os inimigos pela defesa dos túmulos e dos templos: dentre tantos romanos, não há um só que possua altar paterno, um túmulo de antepassados. Fazem a guerra e morrem unicamente pelo luxo e a opulência de outrem: nós os chamados de senhores do mundo, mas eles não possuem sequer um torrão de terra". Este texto de Plutarco (Vida de Tibério Graco) refere-se à:
a) Religiosidade do povo romano.
b) Organização dos exércitos romanos.
c) Grande riqueza acumulada por Roma nas suas guerras de conquistas.
d) Preocupação do Estado romano para com seu povo.
e) Pobreza e miséria do povo romano que ajudou na conquista do grande império.

7) (PUC-CAMP) Considere os fatores abaixo.
I. Oposição dos cristãos à escravidão.
II. Concorrência comercial das províncias conquistadas.
III. Declínio da capacidade de conquista, o que comprometia o abastecimento de escravos para o Império
IV. Fracasso da reforma agrária que limitou o uso da terra pelos comandante militares.
V. Anarquia militar. A partir do século III inicia-se uma crise econômica, social e política no Império Romano.
Os fatores responsáveis por essa crise foram APENAS.
a) I, II, V
b) I, III, IV
c) I, IV, V
d) II, III, IV
e) I, III, V

8) (SANTA CASA-SP) As guerras de Roma contra Cartago, no período entre 264 e 146 A.C., tiveram amplas repercussões, entre as quais se pode destacar:
a) A decadência da classe dos cavaleiros, com a parte de suas riquezas e poder político.
b) A perda das terras situadas no Mediterrâneo Oriental, que conquistara à Grécia e ao Egito.
c) O abandono dos centros urbanos por grande parte de sua aterrorizada população.
d) A diminuição da escravidão, em virtude das derrotas militares, que o significou a perda de seu sustentáculo econômico.
e) O Desenvolvimento de uma política imperialista que levaria à conquista da bacia do Mediterrâneo.

9) (MACKENZIE) A concentração de terras em mãos de latifundiários, a ruína dos pequenos êxodo rural no final da República provocaram em Roma:
a) O aparecimento de leis escritas que defendessem os direitos dos plebeus.
b) Uma luta de classes, prenúncio das guerras civis que forçaram o estabelecimento do Império.
c) O fim das ditaduras militares e a formação de um governo de bases populares.
d) A bem-sucedida reforma agrária dos tribunos da plebe: Tibério e Caio Graco.
e) A fixação de colonos na bacia oriental do Mediterrâneo.

10) (PUC-CAMP) A revolta de Espártaco (73 A.C.) no final da República, em Roma , decorreu, entre outros fatores:
a) Da falta de cumprimento da Lei de Tibério Graco, que limitava a extensão das propriedades rurais a 125 hectares.
b) Do assassinato de Júlio César, por inspiração de elementos da aristocracia, chefiados por Bruto e Cássio.
c) Da grave crise social, em que destacava o aumento sensível do número de escravos submetidos a duras condições.
d) Da condenação pelo Senado do líder popular Caio Graco, em face de seu envolvimento com os desprotegidos.
e) Do surgimento de ditaduras militares, com Mário e Sila, que aboliram os direitos constitucionais da plebe.

Tipo D

1) (Mackenzie 96) São fatores que levaram os E.U.A. a reconhecerem a independência do Brasil em 1824.
a) A identificação com a forma de governo adotada no Brasil e interesses coloniais comuns.
b) A subordinação econômica à Inglaterra e o interesse de aliar se ao governo constitucional de D. João VI.
c) A aliança dos capitais ingleses e americanos interessados em explorar o mercado brasileiro e a crescente expansão do mercado da borracha.
d) Doutrina Monroe (América para os americanos) e os fortes interesses econômicos emergentes nos E.U.A.
e) A indenização de 2 milhões de libras pagos pelo Brasil ao governo americano e a Doutrina Truman.

2) (UNICAP) A abertura dos portos, em 28 de janeiro de 1808, pôs fim ao monopólio português sobre o comércio brasileiro. Depois da abertura dos portos, inúmeras firmas inglesas vieram se estabelecer no Brasil, que recebeu uma variedade de produtos da Inglaterra. Assinale as afirmativas verdadeiras e as afirmativas falsas.
0--0) Na verdade, apenas a Inglaterra foi beneficiada com as medidas tomadas por D. João.
1--1) D. João, Príncipe Regente, tomou medidas econômicas que favoreceram unicamente o Brasil.
2--2) Embora a Inglaterra colhesse vantagens da abertura dos portos, o Brasil também foi favorecido.
3--3) A abertura dos portos representou o rompimento definitivo do pacto colonial e o início do processo de emancipação política da colônia.
4--4) O monopólio, uma das bases do sistema mercantilista, foi extinto, o que significou o início da liberdade econômica da colônia em relação a Portugal.
As alternativas em vermelho são verdadeiras

3) (Mackenzie 97) "A nação independente continuaria subordinada à economia colonial, passando do domínio português à tutela britânica. A fachada liberal construída pela elite europeizada ocultava a miséria e a escravidão da maioria dos habitantes do país." (Emília V. da Costa) A interpretação correta do texto anterior sobre a independência brasileira seria:
a) a preservação da ordem estabelecida, isto é, escravidão, latifúndio e privilégios políticos da elite, seria garantida pelo novo governo republicano.
b) o rompimento com a dependência inglesa foi inevitável, já que após a independência o governo passou a incentivar o mercado interno e a industrialização.
c) a nossa independência caracterizou-se pelo processo revolucionário que rompeu socialmente com o passado colonial.
d) a rápida transformação da economia foi comandada pela elite política e econômica interessada na superação da ordem colonial.
e) o liberalismo no Brasil possuía limites claros e não impediu que fossem mantidas as estruturas arcaicas da escravidão e do latifúndio, sendo a monarquia a garantia de tais privilégios.

4) (UNICAP) A partir de 1820, acelera-se, com a revolução do Porto, o processo de ruptura entre o Brasil e Portugal. A referida Revolução - movimento de tendência liberais e constitucionalistas, liderado pela burguesia, - exigiu. Assinale as afirmativas verdadeiras e as afirmativas falsas:
0--0) uma política recolonizadora que interessava à burguesia metropolitana;
1--1) uma política econômica nitidamente capitalista para as elites brasileiras.
2--2) da burguesia mercantil portuguesa, recuperação do antigo monopólio e exclusivismo colonial;
3--3) a separação definitiva entre o Brasil e Portugal;
4--4) o retorno de D. João VI e toda Corte Portuguesa.

5) (UFRGS) O anteprojeto que deveria servir de base para a Primeira Constituição do Brasil, em discussão na Assembléia Constituinte em setembro de 1823, tinha como uma de suas características:
a) A limitação ao máximo do poder de Pedro I, com a valorização do poder do legislativo.
b) A completa eliminação de fatores econômicos na organização do eleitorado brasileiro
c) A tentativa de limitar a influência da aristocracia rural nas decisões políticas.
d) O espírito liberal de seus artigos, permitindo às camadas populares o direito de elegerem os seus representantes.
e) A possibilidade de os portugueses, desde que dispusessem de uma determinada renda, exerceram cargos públicos.

6) (UFPA) Assinale a alternativa correta:
a) Na Organização política da Roma republicana, na Antigüidade, era atribuição da Assembléia dos plebeus promover a escolha dos cônsules romanos.
b) Implantada a República romana na Antigüidade, ficou fortalecido o poder dos reis na política de Roma.
c) Implantado o regime republicano em Roma Antiga, o poder dos cônsules foi substituído pelo poder dos ditadores.
d) Concretizada a expansão territorial de Roma durante o período republicano, a agricultura romana havia atingido expressivo crescimento no mundo antigo.
e) O final do período republicano foi marcado pela eleição de 3 cônsules que formaram os triunviratos.

7) (UFPB) Entre as conquistas da plebe romana podemos afirmar:
a) As Leis Licínias acabaram com a escravidão por dívida.
b) As decisões dos Plebiscitos passaram a ter força de Lei a partir da proclamação da Lei Canuléia
c) Os Tribunos da Plebe eram responsáveis pela administração das finanças romanas.
d) Através da Lei Hortência os Plebeus passaram a ter o direito de casar com Patrícios
e) A Lei das 12 Tábuas foi votada pela Assembléia da Plebe e baseava-se no Código de Hamurabi

8) (SANTA CASA-SP) As conquistas romanas, com a formação do Império, tiveram profundas repercussões, pois Roma:
a) Perdeu parte considerável da população urbana que emigrou para o campo à procura de melhores níveis de vida.
b) Vê desaparecer a classe dos eqüestres, atenuadora dos conflitos sociais, que com sua ausência eclodem com grande violência.
c) Ampliou o número de escravos tornando o sistema produtivo dependente deste tipo de mão-de-obra
d) Atravessou uma fase de austeridade de costumes, a fim de compensar as elevadas despesas bélicas.
e) Teve afetada a sua mão-de-obra servil, na sua maioria, durante as lutas armadas.

9) (MACKENZIE) A política do pão e circo, as tentativas de reformas dos Gracos e as ditaduras militares são fatos que demonstram, claramente, a crise institucional da República Romana, cuja análise nos permite concluir:
a) Pela Harmonia com que os novos grupos sociais emergentes eram assimilados pelo poder de Roma.
b) Pelo espírito reformista da aristocracia patrícia no poder.
c) Pelo equilíbrio nas soluções políticas, que caracteriza a fase de crise institucional da República.
d) Pela ausência de luta de classes e equilíbrio na distribuição de rendas e propriedades nas sociedades romanas.
e) Pela dificuldade dos romanos em democratizar suas instituições e optar por soluções que marginalizassem a plebe.

10) (UFAL) A respeito da organização social em Roma assinale a alternativa incorreta
a) Desde o período monárquico os Patrícios formavam o grupo dominante da sociedade romana.
b) No período da Monarquia a sociedade Romana era marcada por um expressivo número de escravos.
c) Os clientes eram plebeus que se colocavam sob a proteção de famílias patrícias.
d) A organização da sociedade romana passou a seguir critérios censitários durante o Império.
e) Durante a fase a República a expansão territorial foi responsável pela ruína dos pequenos proprietários que passaram a forma o grupo dos proletários.

6 comentários:

Catarina disse...

Legal =)

iris disse...

ficou ótiimo babi! :)

Caio disse...

ficou muito bom! :)

Donald disse...

Com esse blog dá pra me ajudar muuito porque assim ele está de uma forma resumida mas também explicativa.. muito legal gostei pra caramba,,,

Carol disse...

fico ótimo
muito legal!!!

Carlos disse...

Com o blog,alunos que faltaram pode se orientar,sobre a aula que ele faltou. E tambem é mais uma fonte de estudo.
Ficou ótimo o blog!
;D