domingo, 25 de maio de 2008

SIMULADO - 23/05/08

1) (FESP) Ser livre
Um povo livre vive num país livre
na cidade livre, na rua livre, na casa livre.
Colônia e escravidão
caminham na mesma direção
Quem declara independência
e não declara abolição
vai ver é livre nada
apenas mudou de patrão.
A liberdade da Nação é a soma das liberdades
de cada cidadão
(Milton Nascimento e Fernando Brant)

Os versos acima colocam em discussão algumas questões básicas de nossa História. Refletindo sobre elas podemos afirmar que:

1. a Carta Outorgada de 1824, regulamentando a vida institucional do Brasil independente, marginalizava a maioria da população brasileira dos benefícios da Independência.
2. o fracasso das revoltas populares como a Revolução dos Padres ou a Confederação do Equador, com propostas mais radicais de avanço social, indica a incapacidade das massas para construir sua liberdade.
3. o Brasil se constituiu, de fato, como nação a partir da independência, quando todos os brasileiros passaram a ser tratados como iguais.
4. a Independência do Brasil representou, os anseios de uma parcela de sua população. A Inglaterra também possuía interesses econômicos na emancipação do Brasil.
5. a independência, em 1822, não significou o fim da colonização que, sob formas sutis de dominação, continua presente ainda nos nossos dias, na forma de agir de brasileiros sobre outros brasileiros.

Assinale a opção correta:

a) 1, 3, 5
b) 2, 4, 5
c) 2, 3, 4
d) 1, 2, 3
e) 1, 4, 5

2) (UNICAP - adaptada) No Brasil, já tivemos diferentes estruturas partidárias, a contar dos partidos surgidos no Segundo Império. Assinale a alternativa incorreta.

a) no final da regência, formam-se os partidos Conservador e Liberal;
b) Os liberais radicais, ou exaltados, defendiam radicalmente a Monarquia;
c) os liberais moderados eram favoráveis ao escravismo e aos latifúndios;
d) os restauradores desejavam a permanência de D. Pedro I no poder, para restaurar a ordem do país;
e) os liberais radicais defendiam o estabelecimentos de uma República Federativa.

3) (FUVEST) A Sabinada, que agitou a Bahia entre novembro de 1837 e março de 1838,

a) tinha objetivos separatistas, no que diferia frontalmente das outras rebeliões do período.
b) foi uma rebelião contra o poder instituído no Rio de Janeiro, que contou com a participação da classe média urbana.
c) assemelhou-se à Guerra dos Farrapos, tanto pela postura anti-escravista, quanto pela violência e duração da luta.
d) aproximou-se, em suas proposições políticas, das demais rebeliões pela defesa do regime monárquico.
e) pode ser vista como uma continuidade da Rebelião dos Alfaiates, pois os dois movimentos tinham os mesmos objetivos.

4) (CESGRANRIO) O período regencial (1831-1840) foi marcado, na história do Império brasileiro, pela instabilidade política, como se observa no(a):

a) reforço da política centralizadora que permitiu o fim das rebeliões provinciais.
b) envolvimento do Império em confronto com os países platinos.
c) caráter restaurador de diversas revoluções como a Farroupilha.
d) vitória do movimento regressista, que desejava a revisão do Ato Adicional.
e) oposição dos setores liberais às reformas implantadas pelo Ato Adicional.

5) (UFRRJ) Sobre as revoltas que assolaram a sociedade brasileira no período regencial, entre 1831 e 1840, pode-se dizer:

I. Expressavam a insatisfação de setores de elites regionais com o poder central no Rio de Janeiro.
II. A Cabanagem no Pará e a Balaiada no Maranhão desafiaram as bases da sociedade brasileira de então: a grande propriedade e a escravidão.
III. Revelavam somente o descontentamento dos setores mais desfavorecidos como o dos pequenos proprietários, camponeses, índios e escravos.

Admite-se como correto:

a) apenas a afirmativa I.
b) apenas a afirmativa III.
c) as afirmativas I e II.
d) as afirmativas II e III.
e) as afirmativas I, II e III.

6) (PUC-RS) "Na sociedade feudal, o vínculo humano característico foi o elo entre subordinado e o chefe mais próximo. De escalão em escalão, os nós assim formados uniam, tal como se se tratasse de cadeias infinitamente ramificadas, os menores aos maiores." (BLOCH, Marc. A sociedade feudal.)

O texto acima refere-se à

a) hierarquia entre os Estados Nacionais.
b) relação existente na comunidade dos burgueses e dos proletários.
c) organização política das cidades medievais.
d) relação de suserania e vassalagem.
e) hierarquia eclesiástica da Igreja Ortodoxa cristã.

7) (UFES) Ao feudalismo europeu, na Idade média, correspondeu uma forma de organização com a qual identificamos, exceto:

a) Descentralização do poder.
b) A propriedade da terra como base econômica dos senhores feudais.
c) A condenação do feudalismo pela Igreja.
d) A vida social caracterizada por laços de dependência.
e) As doações de terras podendo estabelecer as relações de vassalagem: o senhor doador era o suserano e o senhor que recebia era o vassalo.

8) (FESP 1999) A religião islâmica continua tendo uma forte penetração no mundo árabe. Ela consegue mobilizar multidões, como conseguiu nos tempos da Idade Média. Seus preceitos são radicalmente diferentes dos definidos pelo cristianismo. Não há como estabelecer relações entre essas duas religiões.

A análise feita acima é:

a) Historicamente correta.
b) Totalmente incorreta.
c) Parcialmente incorreta, pois existem semelhanças entre o cristianismo e o islamismo.
d) Correta apenas no que se refere à capacidade de mobilização do islamismo.
e) Correta, pois o islamismo é politeísta, não podendo ser comparado com o cristianismo

9) (Fuvest) Do Grande Cisma sofrido pelo cristianismo no século XI, resultou:

a) o estabelecimento dos tribunais da Inquisição pela Igreja católica.
b) a Reforma protestante, que levou à quebra da unidade da Igreja católica na Europa Ocidental.
c) a heresia dos albigenses, condenada pelo papa Inocêncio II.
d) a divisão da Igreja em católica romana e ortodoxa grega.
e) a Querela das Investiduras, que proibia a investidura de clérigos por leigos.

10) A respeito do Império Bizantino analise as afirmativas abaixo.

1 – Sua capital, Constantinopla, corresponde à antiga colônia grega de Bizâncio.
2 – O governo de Justiniano corresponde ao apogeu do Império e foi marcado por grande prosperidade e ininterrupta paz social.
3 – Após a quedo do Império Romano do Ocidente, os bizantinos vivenciaram um processo de ruralização e declínio do comércio..
4 – A queda de Constantinopla é o marco inicial da Idade Média.
5 – Durante as cruzadas, Constantinopla foi dominada e passou a ser controlada por setores da burguesia de algumas cidades italiana.

Estão corretas as afirmativas:

a) 1 e 5
b) 1 e 3
c) 3 e 4
d) 1 e 2
e) 2 e 5

7 comentários:

Anônimo disse...

A prova de historia estava fácil mesmo para quem não estudou. Por isso que disser que estava dificil, é por que realmente tem que estudar e tirar as duvidas durante a aula. Boa sorte para todos.

Viviane disse...

O simulado foi bem básico, sem dificuldades... as questões abordam o mínimo que vocês tem que saber sobre o assunto... espero que todos tenham tido sucesso

catarinaalves__ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
donald disse...

basico acho que eu me dei mau no simulado !
tebgo que estudar mais...

Nathália R disse...

Eu não entendi, porque a opção II. da 5 questão do simulado está correta.

5) (UFRRJ) Sobre as revoltas que assolaram a sociedade brasileira no período regencial, entre 1831 e 1840, pode-se dizer:

II. A Cabanagem no Pará e a Balaiada no Maranhão desafiaram as bases da sociedade brasileira de então: a grande propriedade e a escravidão.

Viviane disse...

Nat,

A cabanagem e a Balaiada foram movimentos do "povão". Eles não seguiam os planos da elite. Não tinham nada a perder e desejavam mudanças mais radicais...

Se não entender, fale comigo na sala, ok?

Beijos

Catarina Alves disse...

Como ficou a pontuação extra? A partir de quantos acertos ganhará 1 ponto?